Assessoria de Comunicação
25/02/2016 - 19:32 - Atualizado em 27/02/2016 - 10:21


Vereadores saem em defesa de profissionais da educação

Aumento da carga horária dos servidores pelo Executivo é criticada pelos parlamentares

Vereadores saem em defesa de profissionais da educação


Um dos pontos de maior destaque na 3ª sessão ordinária da Câmara Municipal de Paranaíba foi relativo ao horário de trabalho dos servidores públicos municipais da educação. Conforme o vereador e presidente da Casa de Leis, Maycol Queiroz (PDT), o Executivo estaria aumentando a carga horária de trabalho dos referidos colaboradores municipais de 6 para 8 horas diárias.

 

Maycol criticou duramente a conduta. Para ele, o prefeito estaria sacrificando os servidores e como exemplo o vereador citou as merendeiras. “Uma delas foi em casa. Sempre trabalhou das 5 da manhã até as 11. Agora o prefeito quer que elas entrem às 5h, trabalhem até as 9h, façam duas horas de almoço e voltem às 11h para ficar até as 15h. Isso é um absurdo, é aproveitar do servidor”, disse Maycol.

 

Para Maycol, o trato com o funcionalismo público é ruim e a atitude do Executivo seria mais uma prova disso. Quem dividiu a mesma opinião foi a vereadora Jane Paula da Silva Colombo (PDT). “Não existe condições de a educação funcionar desta forma. Nossas escolas são 520 alunos e no horário que mais precisa do servidor ele não estará? Que nojo vão ficar nossas escolas. Será que deixarão igual está nossa cidade?”, indagou Jane.

 

Ainda com relação ao horário de trabalho dos servidores, Jane acrescentou que à sua época como secretária de Educação do município, a carga horária era de seis horas e o município conseguiu, segundo ela, alcançar o primeiro posto entre as melhores educações do estado. Jane sustentou ainda que o estado também segue a carga horária de seis horas. “O prefeito quer economizar dinheiro da educação? Esse dinheiro vem do governo federal, prefeito, para ser investido nela”, criticou.









OUTRAS NOTÍCIAS: Institucional

22
Dez
2016

• Institucional

EDITAL nº 005/2016
01
Jul
2016
20
Jun
2016